Seguidores

domingo, 14 de janeiro de 2018

Turbilhão...




Há um milhão de maneiras de se perder-te
E uma só razão que faz um coração mover-se...

Essa lonjura ...
e a saudade crescendo
como cresce o amor na distância,
quando as palavras já são peças soltas do abismo...

(Adilson Shiva)

Torbellino...

Hay un millón de maneras de perderte
Y una sola razón que hace un corazón moverse…

Esa lejanía…
y la nostalgia creciendo
como crece el amor en la distancia,
cuando las palabras ya son piezas sueltas del abismo…

(Adilson Shiva)

sábado, 13 de janeiro de 2018

Cadencia…


Fico só na escuridão
da noite para ver as estrelas ...

Ali me pergunto se uma lembrança é algo
que conservamos ou algo que foi perdido ...

Não saberemos até chegarmos
à última fronteira do nosso coração ...

Cadencia…

Me quedo sólo en la oscuridad
de la noche para ver las estrellas…

Allí me pregunto si un recuerdo es algo
que conservamos o algo que hemos perdido…

No lo sabremos hasta que lleguemos
a la última frontera de nuestro corazón…


(Adilson Shiva)

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Pais e filhos…


Uma criança me acorda com um soluço
E o silêncio depois ...
Meus olhos escondem meu medo,
meus passos, um andar de silêncio ...

E agora que você cresceu,
Seus passos, meu medo, seus olhos, o silêncio.
Era tão tranquilo o mundo ao nosso redor.

Padres e hijos…

Un niño me despierta con un sollozo
Y silencio después…
Mis ojos ocultan mi miedo,
mis pasos , un andar de silencio…

Y ahora que creciste,
Tus pasos, mi miedo, tus ojos, el silencio.
Era tan tranquilo el mundo alrededor.

(Adilson Shiva)

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Reflexão ...


Deixar atrás os desertos,
Pois a vida segue inconclusa, em sua precariedade
E nos mistérios de sua duração.
Nunca estamos prontos...

Reflexión…

Dejar atrás los desiertos,
Pues la vida sigue inconclusa, en su precariedad
Y en los misterios de su duración.
Nunca estamos listos…


(Adilson Shiva) 

domingo, 31 de dezembro de 2017

Noites e dias...




Navegamos outra vez,
Atravessando o tempo
Sem relógios ...

Restaram aqui, suas fotografias
Como um poema renunciando
As palavras em seu desespero vão ...

(Adilson Shiva)

Noches y días…

Navegamos otra vez,
Atravesando el tiempo
Sin relojes…

Restaron aquí, tus fotografías
Como un poema renunciando
Las palabras en su vana desesperación…

(Adilson Shiva)

sábado, 30 de dezembro de 2017

Sinthoma ...


Nos falamos
com um idioma que ainda não existe.
Destas palavras da minha pré-história
Eu resgatei uma letra:
Tempo ...

(Adilson Shiva)

Sínthoma…

Nos hablamos
con un lenguaje que no existe todavía.
De estas palabras de mi prehistoria
Rescaté una letra:
Tiempo…

(Adilson Shiva)

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Ao acaso…


O tempo quer saber o que aconteceu comigo ...
Não sei como respondê-lo.
Tudo estava em paz um segundo ...

(Adilson Shiva)


Al azar…
El tiempo quiere saber qué fue de mí…
No sé cómo contestarle.
Todo estaba en paz a un segundo…


(Adilson Shiva)

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

So this is Christmas... ( Então é Natal...)


Então é Natal ...

Palavras amenas 
chocam contra realidade e a decompõe ...
As ruas são nuas e frias
apesar do esforço de um poema ...

A música natalina é ritmada
por passos passantes silenciosos,
anestesia fugaz de um olhar
que nada vê…

(Adilson Shiva)

Entonces es Navidad…

Palabras amenas 
chocan contra la realidad y la descomponen…
Las calles son desnudas y frías
A pesar del esfuerzo de un poema…

La música navideña es ritmada 
por pasos pasantes silenciosos,
anestesia fugaz de una mirada 
que nada ve… 

(Adilson Shiva)

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Lentamente...


É difícil apaziguar a alma,
quando se percebe que se equivocou o caminho...

Agora eu quero merecer aqueles que virão depois,
em você está o que atrás fomos deixando...

(Adilson Shiva)

Despacio…

Es duro apaciguar el alma,
cuando se da cuenta que se equivocó el camino…
Ahora quiero merecer a quienes vinieren después
en ti está lo que atrás fuimos dejando…


(Adilson Shiva)