Seguidores

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Saudade…






A poesia é como o vento,
não há projeto nem medida,
assim como nosso encontro…

Tudo o que sei de ti o aprendi por tua escritura
e hoje, ao que faltava, pus uma palavra estrangeira:
Saudade…

(Adilson Shiva)

Saudade…

La poesía es como el viento,
no hay proyecto ni medida,
Así como nuestro encuentro…

Todo lo que sé de ti lo aprendí por tu escritura
y hoy, a lo que faltaba, puse una palabra extranjera:
Saudade…

(Adilson Shiva)

domingo, 21 de maio de 2017

Revolução…


Sob o silêncio
Há um momento de concluir...
Porque a luz se afasta das palavras.

Não passou a crise,
Não há nem um pássaro que gorjeie,
Cega está nossa terra mergulhada na merda.

Resta a paciência do vento,
Esperando para ser vendaval…

(Adilson Shiva)

Revolución…

Bajo el silencio
Hay un momento de concluir…
Porque la luz se aleja de las palabras.

No ha pasado la crisis,
No hay ni un pájaro que gorjee,
Ciega está nuestra tierra sumida en la mierda.

Resta la paciencia del viento,
Esperando para ser vendaval…
(Adilson Shiva)

sábado, 13 de maio de 2017

Detalhes...


Gosto dos detalhes das fotos amarelas:
Nossos pormenores lúdicos,
Nossas coisas esquecidas.

Um cão ladra na noite
E inventa esse afiado punhal
Que toca o deserto que somos...

(Adilson Shiva)


Detalles...

Me gustan los detalles de las fotos amarillas:
Nuestros pormenores lúdicos, 
Nuestras cosas olvidadas. 

Un perro ladra en la noche
Y inventa ese afilado puñal
Que toca el desierto que somos…


(Adilson Shiva) 

domingo, 30 de abril de 2017

A solidão do Um...




Essa verdade em ti que a mim incompleta,
Essa solidão do Um...
Essa noite que tu já conhecias,
Esse canto emudecendo,

A escuridão do inconsciente,
Essa solidão do Um
A poesia gritando,
Um novo amor nascendo...

(Adilson Shiva)


La soledad del Uno…

Esa verdad en ti  que  a mi incompleta
Esa soledad del Uno…
Esa noche que tú ya conocías,
Ese canto enmudeciendo,

La oscuridad del inconsciente,
Esa soledad del Uno,
La poesía gritando,
Un nuevo amor naciendo…

(Adilson Shiva)

domingo, 16 de abril de 2017

Silêncio e oração...

 

A poesia é capaz do silêncio,
Para aqueles que rezam a cada verso
Com os olhos fechados...

Ainda que nada assegure o amor que te tenho,
“eu te amo” é minha oração predileta...

(Adilson Shiva)

Silencio y oración...

La poesía es capaz del silencio,
Para aquellos que rezan cada verso
Con los ojos cerrados…

Aunque nada asegure el amor que te tengo,
“yo te amo” es mi oración predilecta…

(Adilson Shiva)

domingo, 9 de abril de 2017

Solidão...



Assim foram tuas tardes...
Pouco a pouco te foste afastando,
como um golpe de mar por uma porta perdida,
na imensidão do nevoeiro...

Este é mais um nome da solidão
e a solidão não sabe que dizer,
quando fica ali, a sós...

(Adílson Shiva)



Soledad...

Así fueron tus tardes…
Poco a poco te fuiste alejando,
como un golpe de mar por una puerta perdida,
en la inmensidad de la niebla…

Este es más un nombre de la soledad
y la soledad no sabe qué decir,
cuando queda allí, a solas…

(Adílson Shiva)

quinta-feira, 23 de março de 2017

Felicidade...




A noite faz uma pausa
e a solidão é a luz acesa...

Não sabíamos que a felicidade doesse tanto.
Almas confusas, vozes perdidas...

(Adilson Shiva)

Felicidad…

La noche hace una pausa
y la soledad es la luz prendida…

No sabíamos que la felicidad doliera tanto.
Almas confusas, voces perdidas…

(Adilson Shiva)